inbound
Blog

3 Técnicas de Inbound Marketing para utilizar no seu negócio

A cada dia que passa existem mais técnicas de publicidade e de vendas na internet. Mas se tem uma que se destaca é a de inbound marketing, que conta com alguns recursos incríveis e um potencial bem maior do que muitas outras.

De fato, hoje em dia a esfera digital é tão dinâmica, que muita gente acaba entrando nela sem ter noção do que realmente merece mais atenção ou menos atenção. O maior exemplo disso são os grandes motores de busca, como o Google.

No Brasil também podemos falar do Yahoo, do Bing e até do Ask Brasil, que são outras opções que também têm algum acesso entre nós. Contudo, dentre todas a maior plataformas é, sem dúvida, a do Google.

Até porque, ela oferece várias opções que vão além da simples busca. Para entender isso, basta você abrir agora sua página e procurar por algo como portaria 24 horas terceirizada, para ver que surgem centenas de resultados.

Às vezes, não são nem centenas, mas mesmo milhares de opções. Sendo que as primeiras a aparecerem correspondem àquelas que se encontram mais próximas de você. Isso em termos geográficos, pois o buscador já leva em conta sua localidade.

Se você pesquisar pelo smartphone, ele ainda pode dar a opção de acionar o GPS do celular e se dirigir até o local com o Google Maps ativado. Deste modo, a plataforma leva você do seu ponto de partida até a empresa que presta o serviço.

Naturalmente, antes da internet não existia uma funcionalidade que chegasse nem perto dessa. Ainda assim, vale a pena lembrar que o próprio inbound enquanto estratégia de marketing é um recurso anterior à esfera digital.

Isto quer dizer que ele já existia no mundo offline, de modo que a internet só fez torná-lo mais acessível e mais assertivo. O maior exemplo que temos é o das fabricantes de pneu norte-americanas, dos anos de 1960 e 1970.

Mas não demorou até outras empresas e segmentos perceberem que também podiam aplicar o recurso, como uma oficina que presta serviço de lavagem de poltrona. Basicamente, na época isso consistia em enviar revistas para a casa do cliente.

Ou seja, eram conteúdos criados e impressos, distribuídos no formato do que hoje chamamos de newsletters. Com a diferença de que hoje elas funcionam com base no e-mail marketing, e antes era no despacho pelos Correios.

Essas publicações tinham o compromisso de manter a clientela informada sobre as novidades que iam surgindo naquele nicho de mercado. Com isso mantendo o lead bem aquecido e sempre disposto a comprar algo.

No caso das marcas de pneus a ideia era extremamente ousada: eles davam dicas de viagens, de modo que sua clientela lia aquilo, começava a viajar mais, com isso gastando mais pneu e comprando mais do que antes.

Hoje a ideia continua sendo a mesma, pois o inbound marketing nada mais é do que um modo de atrair clientes de maneira discreta, por meio de iscas que geralmente se resumem à criação de conteúdos, exatamente como antes da internet.

Por exemplo, criando um blog uma locação de multifuncional brother pode atrair muita gente interessada nesse tipo de serviço de outsourcing de impressão. Com o tempo, as publicações vão atrair cada vez mais leitores e visitantes.

Hoje a experiência já provou que esses leitores têm um potencial muito maior de se tornarem leads, que por sua vez se tornarão consumidores mais engajados do que aqueles que compram sem antes terem consumido o conteúdo da marca.

Por isso se tornou tão importante explicar em detalhes o que é o inbound marketing, como estamos fazendo aqui. Para isso, é fundamental detalhar alguns conceitos e teorias, antes de sair falando simplesmente da parte técnica.

Depois de lançar os fundamentos, aí sim vamos explicar quais as 3 melhores técnicas para você utilizar no seu próprio negócio, detalhando como fazer isso no caso a caso em vez de cair em generalizações que pouco ajudariam.

Esse esforço também passa pela necessidade de detalhar as vantagens e benefícios desses recursos. Além de dar exemplos práticos, claros e baseados em negócios reais, que realmente possam ajudar quem deseja colocar a estratégia em prática.

De fato, um ponto positivo é que hoje o inbound marketing está tão testado, que já pode ajudar qualquer segmento de mercado, seja da parte de serviços como conserto empilhadeiras, ou a venda de produtos populares no varejo.

Sendo assim, se o seu objetivo atual é justamente mergulhar de cabeça em algo que pode transformar radicalmente a realidade do seu negócio, criando uma relação segura e madura com o seu público, então basta continuar até o fim desta leitura.

O que é o inbound marketing?

Até aqui já deu para entender que se trata de uma estratégia que se baseia na atração de leads e clientes em potencial. Ou seja, é um tipo de prospecção comercial passiva, que não vai direto à venda com seu público.

Tanto que o oposto do inbound é o outbound marketing, focado em uma prospecção ativa que consiste em utilizar gatilhos explícitos de venda. Quando você liga a televisão e vê um comercial anunciando uma promoção arrasadora, isso é outbound.

Basicamente, o inbound não vai falar de preços, prazos, das vantagens que a marca supostamente tem, ou mesmo perder tempo massacrando a concorrência. O que o inbound vai fazer é criar uma relação mais sólida com o público.

Se a empresa lida com bandeja para rack servidor, ela pode lançar diversos recursos que oferecem justamente esse tipo de relação, tais como:

  • Artigos de blog;
  • E-mail marketing;
  • Posts de rede social;
  • Lives e podcasts;
  • E-books e slides.

Entre outras frentes que vão surgindo no universo digital, e que alimentam a relação de médio e longo prazo, como algo que capta leads de melhor qualidade.

Além da prospecção passiva, outra característica fundamental do inbound é que ele sempre se preocupa com o funil de vendas, como veremos logo abaixo.

O que precisa ficar claro agora, em termos de definição, é que ele consiste em uma estratégia que, embora seja comercial, não é explícita. 

Naturalmente, isso atrai sobretudo as novas gerações, que preferem mil vezes as marcas capazes de dar algo em troca em vez de simplesmente ficarem tentando convencer o cliente a abrir a carteira o tempo todo.

1. O funil de vendas

Esse é outro conceito ou recurso que já existia antes da internet, mas que deu saltos de qualidade com a disseminação do mundo online.

Basicamente, o que o funil de vendas comprova é que nenhum cliente salta do nível de alguém que desconhece sua marca para o de um comprador fiel e satisfeito. Na verdade, há vários estágios que precisam ser cumpridos.

Em termos práticos, podemos falar em níveis de pré-venda, de negociação e depois de pós-venda. Visto pela ótica do cliente, o funil nada mais é do que a jornada de compra.

Quando uma autoescola de CNH especial para moto decide implementá-lo, ela ganha um domínio bem maior da relação com o público, podendo criar estratégias bem mais assertivas e eficientes, por ter o controle em suas mãos.

Justamente por priorizar essa relação de qualidade, desenhar um funil deve ser o primeiro passo de quem vai aplicar o inbound marketing.

Na prática ele vai consistir no estágio de criação e disseminação de conteúdos. Depois vem a captação e nutrição desses mesmos leads, só então a negociação e a venda. Outra vantagem é que isso permite trabalhar a fidelização de modo mais eficiente.

2. O blog e a otimização

Acima já mencionamos os blogs, que no fundo servem como momento inicial da criação de conteúdo, mais ou menos como baliza de qualquer inbound marketing que se preze.

Até porque, escrever artigos sobre seu segmento não só vai fortalecer seu nome, ou atrair leads de qualidade, como vai permitir que você ganhe a segurança necessária para partir depois para outros formatos.

Lembrando que hoje a grande razão de ter os blogs é a de aparecer com destaque nos buscadores. Então, uma firma de terceirização de copeira precisa fazer o famoso SEO (Search Engine Optimization).

Termo em inglês para Otimização de Páginas para Motores de Busca, o que esse recurso faz é justamente ajudar seus conteúdos a seguirem os parâmetros do Google, com isso ranqueando seu site nas melhores posições de busca.

3. Formatos diversos

Por fim, hoje é preciso compreender que a criação de conteúdo já não se limita apenas a abrir um blog ou disparar e-mails para o banco de leads.

Na verdade, se uma empresa vende parrilla argentina ela logo vai perceber que muitas marcas já fazem isso, então para sair na frente é preciso diversificar nos formatos.

Daí que o blog sirva como base, pois seus artigos podem ser resumidos para virarem posts de internet. Ou ainda, podem virar script para vídeos, workshops, lives, podcasts e afins. Lembrando que e-books, infográficos e slides também atraem e geram leads.

Considerações finais

Já não há como falar sobre o marketing digital sem explicar o que exatamente é o inbound, em contraste com as estratégias de outbound.

Não se trata de pôr uma em detrimento da outra, mas de entender as vantagens do inbound, como mostramos acima. Para isso, também listamos as 3 melhores técnicas que você pode começar a praticar hoje mesmo.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.