Geral Saúde

Ansiedade de separação em cachorros: saiba como minimizar

Quem tem pets sabe que é preciso dedicação para mantê-los saudáveis e contentes. Seja na hora de selecionar a ração, preparar a comida, manter os cuidados veterinários, entre outros exemplos.

Outro cuidado fundamental é não deixá-los sozinhos por muito tempo. Isso é importante sobretudo na hora de os tutores do animal viajarem ou saírem para trabalhar. Essa situação pode provocar em alguns animais a chamada ansiedade de separação.

A maioria dos cães, por exemplo, fica à vontade sozinho, mas há aqueles que sofrem uma enorme angústia ao se verem sem o seu tutor. Se você precisa comprar alguns itens para o seu bichinho, como uma nova caminha para o pet, confira mais sobre esse processo.

Sinais

Como todo problema de saúde, a ansiedade de separação apresenta diversos sinais. Alguns deles são: choro, uivo, latidos prolongados e em horários não habituais, acidentes dentro de casa e comportamento destrutivo.

Também é preciso estar atento se o cachorro começa a se automutilar (coçando a pele excessivamente ou arrancando o pelo), arranhar as portas da casa, urinar fora dos locais determinados, andar em círculos, babar ou ofegar intensamente com regularidade. Se o seu pet apresentar a maioria desses sintomas, é bom buscar estratégias e apoio profissional para reduzir essa ansiedade. Veja algumas delas a seguir.

Aumente o tempo da ausência

Uma dica simples e eficiente é: não passe horas fora de casa de um dia para outro. Se você vai começar um trabalho presencial ou precisará ficar mais ausente de casa do que o cão está acostumado, é recomendado que você comece a ficar ausente por períodos curtos no início e vá aumentando isso gradativamente.

Um jeito simples de fazer isso é começar a permanecer sozinho em um cômodo da casa, de portas fechadas (parcial ou totalmente). Antes de fazer isso, faça um cafuné no seu cão para que ele relaxe. 

Então, deixe o cômodo por um curto intervalo e espere ele ficar em silêncio. Ao regressar para o cômodo em que ele está, que tal dar uma pequena recompensa (como elogios, carinhos ou petiscos)? Gradualmente, o seu pet vai aprender que ficar sozinho não é ruim. 

É preciso não prolongar as despedidas caso contrário, o cão vai perceber que você está tentando compensar algo. Experimente retornar mais tranquilo para  a casa, sem comemorações, pois isso também vai fazer com que esse momento não seja rotineiro e sem grandes expectativas. Lembre-se de que ele precisa de algumas semanas para começar a aprender isso, então é preciso ter paciência. 

Incentive a independência e mude o ambiente

Outra dica importante é incentivar a independência do seu cão. Algumas práticas simples para conseguir isso são: não deixar o pet segui-lo constantemente, especialmente dentro de casa, não reagir quando ele tentar chamar a sua atenção ou te trouxer brinquedos. Vale lembrar que petiscos não são recomendados para todos os cães (especialmente os das raças consideradas mais inteligentes).

Tornar o ambiente divertido onde o seu cão permanece a maior parte do tempo é outra estratégia interessante. Que tal deixar alguns brinquedos e uma caixa onde ele pode permanecer quando quiser ficar mais quieto e em silêncio? Essa tática é importante para deixá-lo ainda mais confortável em seu espaço, contribuindo para reduzir a ansiedade de separação.

É importante lembrar que crises de ansiedade por separação podem ocorrer em situações corriqueiras como durante uma ida do tutor ao mercado ou quando ele coloca o lixo para fora de sua casa. Se você perceber que seu pet quebrou algo na sua casa enquanto você esteve ausente, não brigue com ele, pois isso intensificará a ansiedade apenas o aconchegue e repita que ele não pode fazer aquilo.

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.