inclusão de PCDs
Marketing e Negócios

Inclusão de PCDs no mercado de trabalho

Desde 1991, existe uma lei no Brasil que trata da inclusão de PCDs no mercado de trabalho, portanto, das oportunidades voltadas para pessoas com deficiência. Mas, foi a partir de 1999 que as organizações, de fato, começaram a contratá-las.

Aos poucos, esses colaboradores passaram a integrar o ambiente corporativo, e em 2015, surgiu a lei número 13.146, que regulamenta o direito ao trabalho por parte dos deficientes físicos.

Anualmente, mais e mais empresas vêm se adequando a essa legislação e perceberam o valor e a competência desses profissionais, bem como a importância de gerar oportunidades para eles.

Os portadores de deficiência aumentam a motivação no ambiente profissional, tendo em vista que os demais colaboradores se inspiram na vontade de trabalhar e de superar os desafios que esses colegas possuem.

Sem falar no fato de que as companhias que adotam a inclusão em seu quadro de funcionários, ajudam a construir uma sociedade igualitária e justa para todos. Como resultado, passam a ser reconhecidas de maneira positiva na sociedade.

Neste artigo, vamos explicar o que é inclusão, os desafios que ela enfrenta, como é o processo de contratação de portadores de deficiência e dar algumas dicas para a inclusão desses profissionais.

O que é inclusão?

A inclusão de PCD nas empresas é um processo que permite o uso de competências e habilidades profissionais de pessoas portadoras de deficiência física no mercado de trabalho.

Trata-se de uma iniciativa onde as empresas incluem em seus quadros de colaboradores pessoas que possuem algum tipo de limitação física, tendo o cuidado de observar essas características durante o processo de recrutamento e seleção.

Além de contratar esses profissionais, uma empresa de limpeza colchão mofo precisa criar um ambiente favorável, além de planejar um clima organizacional que se adeque às necessidades do PCD.

É assim que o espaço se torna verdadeiramente inclusivo e garante o bem-estar de todos os funcionários, independentemente de suas condições.

Desafios da inclusão

Empresas com mais de 100 colaboradores vivenciam vários desafios para incluir pessoas com deficiência. Além de querer contratá-las, é fundamental estar preparado para esse processo, caso contrário, a relação pode ser desgastante e infrutífera.

Durante muito tempo, os PCDs viveram afastados do convívio social, tanto por falta de condições econômicas e sociais quanto por vergonha ou medo. Tudo isso é resultado de um histórico de exclusão vivenciado por quem tem alguma deficiência.

Tanto é que muitos gestores, supervisores e vários outros profissionais nem mesmo sabem como se dirigir a essas pessoas, tendo em vista que algumas colocações podem ser ofensivas.

O fato é que por muito tempo vários termos foram utilizados para se referir aos deficientes, e o termo “pessoa com deficiência” passou a definir a condição, referindo-se a qualquer indivíduo que possua condições, como:

  • Deficiência visual;
  • Deficiência auditiva;
  • Deficiência física;
  • Deficiência intelectual.

Agora, termos como “surdo-mudo” precisam ser evitados porque as pessoas que não falam e são surdas, simplesmente não aprenderam a falar e por isso não são capazes de emitir sons como as demais.

Mas, independentemente de como nos referimos a elas, empresas dos mais variados tipos precisam investir em vários recursos para receber esses indivíduos, como uma plataforma elevatória cadeirante.

Entretanto, o maior desafio está no fato de que não é fácil oferecer as mesmas condições de aprendizado e oportunidades de emprego que realmente ajudem essas pessoas a se desenvolverem e a participarem da sociedade.

Geralmente, também são pessoas com baixo grau de escolaridade, o que dificulta ainda mais seu ingresso no mercado de trabalho. Em vista disso, a educação é fundamental para a inclusão desses profissionais.

Para cumprir a legislação vigente, a companhia também precisa encontrar pessoas que possuem o perfil desejado e que preencham os pré-requisitos do cargo.

Entretanto, o Brasil é um país com muitos problemas na área da educação e isso dificulta ainda mais na hora de encontrar pessoas com deficiência para os mais variados cargos.

Para resolver esta questão, muitas organizações, como um buffet especializado em coquetel para inauguração de loja, investem em cursos de capacitação para pessoas com deficiência, além de treinamentos para a formação do indivíduo.

O fato é que a inclusão representa muitas mudanças e a corporação precisa estar disposta a repensar concepções e expandir seus horizontes.

Como contratar um PCD?

O processo de recrutamento, seleção e contratação de pessoas com deficiência não é muito diferente dos processos a que o RH está habituado para contratar os demais colaboradores.

No entanto, existem algumas questões que precisam ser consideradas, por exemplo, o fato de que as pessoas com deficiência devem ter os mesmos direitos que os demais, embora seus contratos sejam mais flexíveis, por conta de necessidades médicas.

Por outro lado, para um fabricante de piso vinílico imitando madeira, o processo de recrutamento pode ser mais eficiente, se a vaga for divulgada em sites especializados em oportunidades de trabalho para PCD.

Depois que os currículos são selecionados, é necessário selecionar os profissionais, sem discriminá-los por conta de sua deficiência.

Os profissionais de RH também precisam estar preparados para conduzir o processo seletivo, principalmente se o candidato tem uma deficiência auditiva, o que exige a presença de um intérprete de libras durante a entrevista.

Da mesma forma, se o candidato depende de cadeira de rodas ou possui alguma limitação para se locomover, é fundamental que a entrevista seja realizada em local acessível.

Se a empresa em si não tiver esse lugar, o ideal é que o processo ocorra em local mais apropriado para a ocasião.

Dicas de inclusão para o seu negócio

Uma empresa de instalação de cerca elétrica residencial que contrata portadores de deficiência sabe muito bem que a inclusão não vai muito além do recrutamento.

A companhia precisa se preparar para alcançar bons resultados, e impossibilitar que as pessoas com deficiência melhorem sua autoestima e realmente façam parte do dia a dia da corporação. Algumas dicas de inclusão são:

Treinar e preparar todos os setores

Os gestores precisam planejar algumas intervenções e com isso preparar toda a equipe para conviver com os colaboradores portadores de deficiência e aprender com eles.

Os funcionários precisam de uma boa convivência com os PCDs e compreender que, embora tenham alguma deficiência, não são seres dependentes.

Na verdade, eles estão trabalhando porque são capazes e habilitados o suficiente para exercer suas tarefas, portanto, precisam apenas de algumas condições diferentes para que possam trabalhar.

Treinar e preparar os colaboradores é a melhor forma de mudar a mentalidade deles, tendo em vista que a falta de informação pode causar desconfortos e situações desagradáveis.

Uma empresa de fechamento de sacada com vidro deve conscientizar os demais acerca do fato de que o Brasil possui um grande número de pessoas com deficiência, e que elas enfrentam muitas dificuldades para participar da sociedade.

O treinamento ajuda a estabelecer relações de trabalho positivas e a prática da tolerância, além de adaptar a execução das tarefas, principalmente quando os demais precisam modificar alguns procedimentos.

Mapear a acessibilidade

As relações interpessoais são muito importantes, mas não se deve descartar a necessidade de adaptar o ambiente físico.

Para isso, a companhia deve criar um mapa de acessibilidade, a fim de identificar barreiras e pontos de difícil acesso.

Se uma empresa de limpeza de carpete a seco tiver que fazer alguma adaptação, ela precisa estar de acordo com a NBR-9050.

Investir em apoio especializado

Para promover a inclusão dentro da corporação, é necessário uma série de conhecimentos e experiências, e o apoio de profissionais especializados pode fazer toda a diferença.

Alguns problemas que dificultam a permanência de pessoas com deficiência são os transtornos de comportamento e o relacionamento interpessoal. Assim sendo, verifique se é necessário qualificar e treinar os líderes das equipes.

Com isso, eles vão conscientizar os demais funcionários, de modo a evitar que as diferenças se agravem.

Oferecer plano de carreira

Uma empresa de reforma de fachada precisa desenvolver um plano de carreira para os PCDs porque a taxa de rotatividade desses profissionais costuma ser muito alta.

Isso se deve à falta de harmonia e à ausência de perspectivas que podem gerar desinteresse e necessidade de mudança. Para essas pessoas, a possibilidade de crescer na carreira é ainda mais importante.

Considerações finais

Sendo assim, pessoas com deficiência também são capazes de exercer diferentes cargos dentro das organizações, e muitas companhias já provaram que contratar esse tipo de profissional pode trazer muitos benefícios.

Embora existam algumas dificuldades, o fato é que, quando elas são superadas, a empresa conta com colaboradores mais dedicados e ainda consegue inspirar os demais.

Neste artigo, você conheceu um pouco mais sobre esse assunto e de que maneira tornar a inclusão um processo mais simples para todos.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.