música
Saúde

Música: Conheça os benefícios da para sua saúde

Com o estresse diário ocasionado pela pressão em sempre ser produtivo, a saúde das pessoas está cada vez mais comprometida. Uma alternativa um pouco inusitada é a utilização da música como terapia. 

Atualmente, existem diversos estudos que indicam que a saúde mental e física das pessoas está piorando, devido ao sedentarismo e a redução das interações sociais cotidianas. 

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), dentre as doenças que mais atingem a população é possível destacar: 

  • Diabetes Mellitus tipo 2; 
  • Hipertensão; 
  • Depressão e ansiedade; 
  • Alzheimer;
  • Acidente Vascular Cerebral (AVC); 
  • Colesterol alto; 
  • Câncer; 
  • Parkinson; 
  • Asma.

Essas doenças possuem uma alta taxa de incidência na população, principalmente a da terceira idade, sendo essencial um cuidado redobrado para as pessoas que se encontram nesses grupos de risco. 

Atualmente existe uma série de medicamentos para o tratamento dessas patologias, que tendem a aumentar devido a pressão social por produtividade, até mesmo em trabalhos em buffet casamento para 200 pessoas.

Entretanto, de acordo com estudos, aliar a medicação com terapias alternativas traz resultados melhores. 

A música pode ser utilizada como uma terapia alternativa e, portanto, esse texto irá apresentar alguns conceitos sobre a temática, destacando os benefícios da música para a saúde do ser humano. 

O que é considerado música? 

De acordo com a definição do dicionário, música é uma combinação harmônica de ritmos, palavras, sons e silêncios, sendo algo agradável ao ouvido. 

Existem diversas maneiras de fazer música, seja através de um instrumento ou apenas cantando, todos os jeitos são válidos e compõem uma gama de gêneros musicais, como: 

  • Música erudita;
  • Ópera;
  • Música popular; 
  • Forró;
  • Dance;
  • Rap; 
  • Axé; 
  • Sertanejo. 

Porém, existem inúmeros outros exemplos, onde cada um deles é classificado de acordo com a harmonia e o ritmo, gerando uma vasto universo de estilos musicais.

A música pode ser produzida em um grande estúdio para ensaio, por artistas treinados e talentosos, ou feita em casa, de maneira descontraída e sem estudos. Quase tudo pode ser considerado música. 

A importância da música na sociedade 

Atualmente a música é algo que ocupa um lugar único e importante em praticamente todas as culturas do nosso planeta e, provavelmente, ocupou uma posição semelhante há centenas de anos atrás. 

A existência de música desde a pré-história é algo que possui evidências científicas, como diversos artefatos encontrados por arqueólogos. Um dos mais notórios é uma flauta de osso de abutre encontrada em Hohle Fels, no Sul da Alemanha, em 2008.

Após a aplicação de técnicas, como a datação de carbono, foi descoberto que a flauta tinha aproximadamente 40.000 mil anos de idade. Evidenciando o tempo que a música esteve presente no tecido da cultura humana e da sociedade.

Os pesquisadores acreditam que a música é uma importante ferramenta de conexão social, sendo utilizada principalmente com esse objetivo e que não é algo novo, como o equipamento de som profissional para igreja.

Os cientistas acreditam até mesmo que a espécie é dependente da música para a realização da comunicação, pois a música expressa de forma clara os sentimentos, algo que às vezes, não é expressado de forma eficaz de forma verbal. 

Antigamente, a música era utilizada como ferramenta de comunicação por povos ancestrais que viviam em árvores, hoje, atinge altos níveis de propagação e é difundida por todas as comunidades humanas.  

A música conecta as pessoas de todas as faixas etárias e países, como é o caso dos hinos nacionais, muito utilizados em competições esportivas, e até mesmo em canções de protesto, utilizadas para a criação de um senso político e social nas pessoas.

As canções de amor ou de curtição também são ferramentas de união de pessoas em momentos de prazer e alegria. Ou as canções de ninar, que sempre tocam em uma creche infantil particular para acalmar os alunos.

Além disso, a música protagoniza diversas revoluções sociais, como é o caso daquelas cantadas durante a ditadura militar brasileira, onde a imprensa e os artistas sofreram grandes censuras, tendo que utilizar a criatividade e o duplo sentido para se expressarem.  

A história da música na saúde 

Embora o papel que a música desempenha antropologicamente seja altamente complexo e multifacetado, protagonizando até mesmo revoluções, pensar na música como um instrumento para tratamento no campo da saúde é algo inusitado.

Apesar de ser diferente, a música na medicina não é algo novo, pois os gregos já acreditavam que a música poderia ser utilizada para o tratamento de uma grande variedade de distúrbios e doenças, desde ressacas até depressão. 

Os povos indígenas possuem uma longa história de incorporação da música em sua medicina, realizando cultos com canto, ritmos e percussão para o tratamento de doenças. 

A pessoa que lidera esses tratamentos com música é conhecida como Xamã, traduzido para o portugues como homem de cura. 

Na sociedade moderna a música na medicina tem sido incorporada aos poucos, os pesquisadores fortalecem o posicionamento de que a música pode desempenhar um importante papel em vários aspectos de saúde e bem-estar. 

Atualmente, a áreas da música na academia podem ser dividida em três campos de estudo: 

  • Musicoterapia;
  • Música, psicologia e neurociência; 
  • Recuperação de informações musicais (MIR).

Essas três áreas trabalham em conjunto para compreender como a música pode melhorar o quadro clínico de pacientes com as mais diversas patologias. 

Musicoterapia

A musicoterapia é um campo das ciências médicas que utiliza a música clinicamente para melhorar o quadro clínico de forma individualizada de pacientes, reduzindo o estresse, melhorando o humor e auxiliando na auto expressão.

A sessão de musicoterapia inclui ouvir música, cantar, compor e tocar instrumentos, não de forma profissional ou voltada para o aprendizado, como é o caso de uma aula de música educação infantil.

Mas de forma terapeutizada, como uma maneira de ter um momento de lazer e descontração. De acordo com estudos, a musicoterapia pode trazer benefícios tanto no campo psicológico, como fisicamente, espiritualmente, cognitivamente e socialmente, 

Música, psicologia e neurociência

Essa área da saúde é voltada para o estudo da música no comportamento humano, visando compreender como a música interfere neurologicamente, principalmente em patologias mentais, como a depressão e às doenças neurodegenerativas. 

Recuperação de informações musicais (MIR)

O MIR envolve a análise computacional de estruturas musicais, bem como a interação do paciente com essas estruturas em contextos variados. 

Os benefícios da música para saúde 

De forma geral, a música traz diversos efeitos positivos no tratamento de doenças humanas, destacando-se sua capacidade ansiolítica, voltada para a redução de ansiedade, depressão, dores e estresse. 

Além disso, a música auxilia na sociabilidade das pessoas, que podem se reunir para fazer uma aula de guitarra, criando novos laços de amizade. O benefício de reduzir o estresse é vantajoso para diversas patologias, e não apenas aquelas ligadas ao psicológico. 

Por exemplo, no caso de pacientes que estão realizando quimioterapia para o tratamento de algum câncer, pode ser difícil ficar horas dentro de uma sala por causa do procedimento, que pode ser até mesmo doloroso. 

Sem contar o fator tédio, que assola essas salas. A musicoterapia tem sido muito utilizada nos ambientes hospitalares para reduzir o estresse desses tratamentos. 

Para crianças a musicoterapia é também algo importante, até mesmo na educação infantil maternal 2. Pois reconforta e diverte os pequenos pacientes, que tendem a ter uma aceitabilidade de tratamento menor do que os adultos. 

Por exemplo, um estudo mostrou que a musicoterapia tem um efeito positivo e estatisticamente significativo na dor pós-operatória, estresse e ansiedade em crianças submetidas a cirurgias minimamente invasivas ou invasivas.

Para os pacientes com câncer terminal a música tem sido utilizada para melhorar a qualidade de vida, reduzindo os sintomas depressivos. 

No campo da psicologia, alguns terapeutas, principalmente aqueles que seguem a linha de Jung, tendem a utilizar a música como ferramenta para auxiliar os pacientes a se expressarem, junto a outras coisas, como desenho, escrita, dentre outros exemplos da arte. 

Pois nem todos os pacientes conseguem se abrir com seus terapeutas, expressando seus sentimentos de maneira verbal. 

De forma geral, os benefícios da música no campo da saúde são inúmeros, melhorando a qualidade de vida de milhões de pacientes. 

Considerações finais 

A música está presente em tudo, desde a trilha sonora de jogos obtidos em locação de jogos eletrônicos, protestos sociais, revoluções culturais e até mesmo no campo da saúde. 

Apesar de parecer algo inusitado, a utilização de música para tratamentos nessa área é algo antigo, sendo muito utilizado pelas comunidades tradicionais em seus rituais. 

Com o avanço da ciência diversas pesquisas estão sendo realizadas sobre o assunto, criando até mesmo novos campos de estudos e aplicações. 

A musicoterapia é um campo que está ganhando destaque e sendo muito utilizada em ambientes hospitalares e em consultórios de psicologia, melhorando a qualidade de vida de diversos pacientes. 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *